Somos uma escola diferente.

Dizer o que significa ser diferente nem sempre é fácil.

Vamos contar como somos e talvez se esclareça o que é ser diferente.

Para começar, achamos que ser diferente é bom. A cada família que nos procura com a intenção de deixar seu filho ou sua filha conosco recebemos de braços abertos, e com alegria por receber. E se essa criança ou adolescente não é como a maioria, recebemos a sua diferença tentando entendê-la. E logo percebemos que cada um dos que fazem parte da maioria também tem suas diferenças. E oferecemos o espaço necessário para o despertar das diferenças, que é o que faz de cada um a pessoa que é. Única. Por isso diferente.

Achamos também que as artes (artes plásticas, música, teatro, dança, literatura, …) são muito importantes para o crescimento de uma pessoa, desde que ela é bem pequenininha. Porque é exatamente assim, tendo a chance de criar coisas de seu próprio modo, que ela vai descobrir e deixar desabrochar a sua diferença, aquilo que faz dela a pessoa que é.

Pensamos, por outro lado, que toda pessoa tem prazer em conhecer, como dizia o velho Aristóteles. Toda criança é cheia de curiosidade e vontade de saber sobre o mundo. Algumas vezes, a educação mata essa curiosidade pelo excesso de informação que joga sobre ela. Por isso, nós estudamos as disciplinas científicas através de projetos de pesquisa. Nos projetos, crianças e adolescentes são levados a escolher um tema de estudo, problematizá-lo com perguntas e questões, planejar um caminho de pesquisa para responder à problematização, realizar a pesquisa e elaborar um produto final do projeto. Desse jeito, às vezes estudamos uma menor quantidade de assuntos, mas os estudamos com muito mais prazer e entendimento.

Por outro lado ainda, acreditamos que aprender de modo rigoroso as linguagens – que são ferramentas para todo o resto – são direitos invioláveis das crianças e adolescentes. Por isso temos aulas de língua portuguesa, língua inglesa e matemática que seguem firme na garantia desse direito.

E pensamos que não podemos nos esquecer do corpo. A educação física acontece desde que as crianças são bem pequenas, e até os últimos anos do fundamental permanece sendo um espaço para a brincadeira, o jogo, o contato, o limite. É aí que muitos afetos desabrocham e são cuidados.

E, enfim, cuidamos de cada criança e adolescente que nos chega com muito cuidado e amor. Com acolhimento e rigor, porque amar é também limitar, seguimos junto de nossos meninos, em parceria.

Desse modo, nosso caminho se faz na firmeza de uma educação consciente de que seus frutos são quase sempre futuros, mas na certeza de que é a vivência plena do que se faz agora que planta as sementes dos frutos mais bonitos.